Instruções aos autores

    Escopo e política

    Forma e preparação de manuscritos

    Envio de Manuscritos

    Manual de redação da revista

 

Escopo e Política

A revista, destinada principalmente à comunidade acadêmica, acolhe artigos das mais diversas tendências metodológicas e críticas. Seu interesse primordial é nas áreas de estudos literários, literatura brasileira e literatura comparada, com foco temático na obra de Machado de Assis.

A revista recebe, avalia e publica artigos em português e inglês. Os artigos, que são recebidos e publicados em fluxo contínuo, devem ser inéditos. Alinhada com as práticas da ciência aberta, a revista aceita a submissão de artigos depositados previamente no servidor SciELO Preprints, cujas regras estão definidas no site https://preprints.scielo.org

Todos os trabalhos recebidos pelos editores serão submetidos à avaliação do conselho editorial da revista e por pareceristas ad hoc, membros da comunidade acadêmica brasileira e internacional, especialmente convidados para cada avaliação e que tenham o título de doutor (a).

Cada artigo será avaliado por dois especialistas e, em casos de discrepância, os editores decidirão. Baseados na recomendação dos avaliadores, os editores comunicarão aos autores a aceitação ou não para publicação.

Também em sintonia com as práticas da ciência aberta, o periódico oferece a autores e pareceristas opções de abertura do processo de avaliação por pares, com ou sem identificação dos seus nomes. A autorização para divulgação do nome poderá ser dada pelos autores no momento de submissão do artigo e pelos avaliadores no preenchimento do Formulário de Avaliação.

Os textos aceitos para publicação serão submetidos a um tratamento editorial e enviados aos respectivos autores para sua aprovação final.

Em alguns casos, a revista publica artigos originários de conferências, exposições orais ou comunicações apresentadas em reuniões acadêmicas, organizadas ou não pelo conselho editorial da revista ou individualmente por membros desse conselho.

Os editores publicam também resenhas de livros sobre a obra de Machado de Assis, ou sobre novas edições de seus livros. As resenhas também passam pelo processo de avaliação por pares.

Os direitos morais e intelectuais dos artigos pertencem aos respectivos autores, não sendo propriedade da revista, que também não se responsabiliza pelas opiniões emitidas pelos autores.

 

Forma e preparação de manuscritos

Artigos sobre a obra de Machado de Assis, em português ou inglês e inéditos no Brasil, devem ter o mínimo de 20.000 e o máximo de 35.000 caracteres com espaçoArtigos que não estejam dentro desses parâmetros serão devolvidos aos autores antes do início do processo de avalição. Apenas em casos muito excepcionais os editores poderão aprovar a publicação de artigos com mais ou menos caracteres do que os estipulados acima.

Caso o autor não queira ser identificado pelos avaliadores, o arquivo contendo o artigo não deverá trazer identificação de autoria, e ao citarem obras suas, os autores são instados a fazê-lo de maneira impessoal. Em documento eletrônico separado, o autor deverá incluir um texto de cerca de 600 caracteres contendo a sua titulação acadêmica, filiação institucional, produção recente, endereço eletrônico do autor, o qual será divulgado junto com o artigo, em caso de aprovação, e número de identificação na plataforma ORCID.

Os trabalhos submetidos à revista devem ser acompanhados de título em português e inglês, resumos em português e inglês (de até 120 palavras), bem como de palavras-chave em português e inglês (três a cinco).

Todos os trabalhos são recebidos pelos editores e distribuídos para avaliação pelos componentes do conselho editorial da publicação e por pareceristas ad hoc, membros da comunidade acadêmica brasileira e internacional, convidados especialmente para cada avaliação. Cada artigo é avaliado por dois pareceristas, cabendo aos editores arbitrar os casos de discrepância. Com base na recomendação dos pareceristas (“Aceitar”, “Aceitar com ressalvas”, “Correções obrigatórias”, “Submeter novamente” ,“Recusar”),  os editores comunicam aos autores a aceitação ou não de seus artigos para publicação. Os textos aceitos para publicação sofrem um tratamento editorial, são submetidos aos respectivos autores para sua aprovação final e ficam à disposição dos editores, para publicação na primeira ocasião oportuna.

As submissões de trabalho devem ser feitas pelo link http://submission.scielo.br/index.php/mael.

Os trabalhos devem ser enviados em processadores de texto compatíveis com a plataforma Windows, margens superior e esquerda de 4 cm, margens inferior e direita de 3 cm., em fonte Times New Roman, corpo 12, espaço entre linhas 1,15 e parágrafos iniciando a 1,0 cm. da margem). As figuras, quando houver, deverão vir em alta resolução e em formato JPEG.

Todos os textos citados devem ser rigorosamente cotejados com o texto da edição consultada. Nas citações de textos de Machado de Assis, recomenda-se tomar como base a edição crítica da Comissão Machado de Assis, publicada pelo Instituto Nacional do Livro/ Civilização Brasileira; as edições realizadas por editoras universitárias ou por editoras comerciais idôneas; as edições dos romances e contos em hipertexto disponíveis em www.machadodeassis.net

Citações de mais de 45 palavras devem ser recuadas à direita, com margem de 2 cm., sem aspas, em corpo 11, espaço entrelinhas 1,15. Citações de menos de 45 palavras devem vir no corpo do texto, entre aspas.

Notas ao texto serão de rodapé, tanto as de conteúdo quanto as bibliográficas; nestas deverá constar apenas sobrenome do autor, título da obra citada e página de onde foi retirada a citação, de acordo com o padrão abaixo: 

1 ASSIS, Contos: uma antologia, v. 1, p. 158.
2 SARAIVA, Artifícios de sedução em Dom Casmurro, p. 109-136. 
3 FARIA, Machado de Assis, leitor de Musset. p. 380. 
4 MEYER, Augusto. Os galos vão cantar. Acesso em: 27 jul. 2008.

Referências bibliográficas completas e precisas virão ao fim do texto, em seção intitulada "Referências", de acordo com o padrão abaixo:

Livros
ASSIS, Machado de. Contos: uma antologia. Seleção, introdução e notas de John Gledson. 2. ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2004. v. 1, p. 158. 


Artigo em livro
SARAIVA, Juracy Assmann. Artifícios de sedução em Dom Casmurro. In:______ (Org.).Nos labirintos de Dom Casmurro: ensaios críticos. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2005. p. 109-136. 


Artigo em periódico
FARIA, João Roberto. "Machado de Assis, leitor de Musset". Teresa - revista de Literatura Brasileira, São Paulo, n. 6-7, p. 364-384, 2006.


Textos em meio eletrônico
MEYER, Augusto. Os galos vão cantar. Machado de Assis em Linha: revista eletrônica de estudos machadianos, Rio de Janeiro, n. 1, jun. 2008. Disponível em:www.machadodeassis.net. Acesso em: 27 jul. 2008. 

As resenhas devem ter entre 750 e 1500 palavras. Apenas em casos muito excepcionais os editores poderão aprovar a publicação de resenhas com mais ou menos caracteres do que os estipulados acima.


O formato e as normas devem ser os mesmos recomendados para artigos (ver acima). 

O título da resenha deve obedecer ao seguinte padrão:

RESENHA DE TEMPO REENCONTRADO: ENSAIOS SOBRE 
ARTE E LITERATURA, DE ALEXANDRE EULÁLIO

REVIEW OF TEMPO REENCONTRADO: ENSAIOS SOBRE 
ARTE E LITERATURA, BY ALEXANDRE EULÁLIO

EULÁLIO, Alexandre. Tempo reencontrado: ensaios sobre arte e literatura. Organização de Carlos Augusto Calil. São Paulo: Instituto Moreira Salles; Editora 34, 2012. 272p.

 

Envio de manuscritos

As submissões de trabalho devem ser feitas pelo link  http://submission.scielo.br/index.php/mael. Os artigos são recebidos em fluxo contínuo.

Artigos enviados sem as especificações acima serão devolvidos aos autores para normatização antes de serem avaliados pelos pareceristas.

Não há taxas para submissão e avaliação de artigos.